Skip to content

A volta do que não foi

16 novembro, 2009
by

Quando o Vasco caiu, eu chorei.

Quando o Vasco voltou, eu chorei copiosamente.

Sou meio assim: choro de dor, mas choro mais de amor.

E quem, dentre os habitantes desse gigantesco planeta de torcedores do Vasco, não é mesmo assim?

Vascaíno, aquele do amor infinito, sofre quando é preciso sofrer.

Mas absorve o impacto, segura a onda, respira fundo e começa a lutar.

Foi assim quando nos disseram que negros não eram bem vindos no futebol.

Foi assim quando inventaram o tapetão e mandaram avisar que sem estádio o Vasco não podia mais jogar contra os “grandes” que já tinha lá os seus campinhos.


Vascaíno, o da imensa torcida bem feliz, não dá mole.

Vai ao fim do mundo, como o navegante do seu nome e faz acontecer.

E acontecer, com o Vasco, não é evento comum, corriqueiro.

Acontecer, quando se trata de Vasco, é sempre arrebatador, grandiloqüente, espetacular.

Voltar à Série A, não fugiu à regra costumeira da história do Vasco.

Foi um deslumbre.

A decisão de jogarmos no Maracanã nossos principais jogos foi a pedra de toque de um caminho que começou com Carlos Alberto, Dorival Júnior, Rodrigo Caetano, Fernando Prass, Ramon, Élton, Fernando, Titi, Paulo Sérgio, Alex Teixeira, Amaral, Gian, Nilton, Adriano, Vilson, Souza e tantos outros não citados aqui, homens de fato, craques no caráter e na compostura, incondicionais nas suas vontades de escrever um capítulo a mais, na história do Clube e da torcida que não se rendem jamais.

Com esses e com Roberto Dinamite, o craque dos craques no campo e fora dele, o Vasco jogou a Série B no centro do mundo, aos olhos do universo.

Não se escondeu.

Não submergiu.

Não se apequenou jamais.

Ao contrário: o Vasco deu as caras.

Entrou forte e saiu poderoso.

Entrou grande e saiu colossal.

Entrou temido e saiu amedrontador em sua grandeza e na força única da nação que o apoia por onde ele passar.

Daria medo ver o tamanho do Vasco se eu não fosse vascaíno.

Com todo o respeito aos que estão ou estarão lá, o Vasco nunca foi de Série B.

Esse foi um dos grandes segredos para o seu sucesso.

Ele esteve lá, mas nunca foi efetivamente alguém de lá.

E como vence por todos os lugares por onde passou, já foi campeão por lá também, que é o certo a fazer para quem nunca mais vai voltar.

O Vasco, acreditem, nunca foi tão grande.

Aliás, mentira, sempre foi desse tamanho sem medidas que o possam definir.

Porque o Vasco mostrou outra vez que, ao lado do seu povo, é imbatível.

Onde quer que ele não vá.

Como uma tal de Série B.

Fábio Fernandes
Publicitário, presidente da F/Nazca e vice de marketing do Vasco

Anúncios
9 Comentários leave one →
  1. Lívia permalink
    17 novembro, 2009 5:56 pm

    FODA PRA CARALHO.

  2. josé carlos prata permalink
    17 novembro, 2009 6:41 pm

    simplesmente estupendo, emocionante de arrepiar…isso é VASCO!!!!!

  3. josé carlos prata permalink
    17 novembro, 2009 6:42 pm

    PODERIAM MANDAR ESSE TEXTO POR EMAIL?

  4. Alvinho permalink*
    18 novembro, 2009 12:18 am

    Pega ele aí mesmo, José.

    Com os devidos créditos ao Fábio Fernandes, autor do mesmo, claro.

  5. Alvinho permalink*
    18 novembro, 2009 12:19 am

    Aliás, fodão mesmo.

    Confesso que fui lendo achando mais foda, deu uma quebrada saber que ele é publicitário, ou seja tem habilidade pra mexer mesmo com as emoções.

    Mas não tira a beleza e emoção do mesmo. Se fosse vascaíno, acho que choraria.

  6. 18 novembro, 2009 5:07 pm

    Lindo o texto….

    Mesmo não sendo Vascaíno, tirei o chapéu para a grande volta por cima que o Vasco deu.

    Lugar de time grande é na série A e o Vasco fez por merecer.

    Que tenha sucesso na volta!

    Visite também o Rio Futebol, se puder!

    Grande abraço,

    Leonardo Resende
    Rio Futebol
    http://riofutebol.blogspot.com
    adm.riofutebol@gmail.com

  7. 19 novembro, 2009 7:57 am

    Maravilhoso texto, agora, se eu fosse o Dudu… diria que o texto era meu… hahahahahahahahahahahahahaha

  8. Pedro permalink
    20 novembro, 2009 10:33 am

    Ótimo texto. Fabio Fernandes é o cara. E é dele todo o mérito pela revitalização do Vasco como marca.

  9. delezcluze permalink
    24 novembro, 2009 1:09 pm

    Sou extremamente simpático ao Fábio tb. Um dos grandes nomes da nova diretoria do WascO…vcs estão de parabéns!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: