Skip to content

Não se fazem mais homens como Edmundo!!

5 setembro, 2008
by

Em meados dos anos 30, Aloysio de Oliveira, vindo dos estaites, entrou em contato com a obra do maestro Glen Miller e o clássico “In the mood”. Aloysio chegou no Brasil e compôs uma paródia chamada Edmundo, taí o refrão:

É demais/ O homem não sabe o que faz/ Eu tenho pena do rapaz/ O Edmundo/ Todo mundo diz que não há jeito mais.

Na noite de quinta feira, lembrei-me de tal sucesso recentemente regravado por Pitty e Marcelo D2. Edmundo vestiu com garra mais uma vez, a camisa do que parece ser seu time de coração. Ele já um jovem senhor, não tem mais a disposição de outrora, porém, o coração de um Animal ainda pulsa. Pena que o Vasco ainda faça gato e sapato de verdadeiros vascaínos como eu e Edmundo. Na hora do aperto, Edmundo mostrou-se um verdadeiro atleta. O goleiro galã foi novamente expulso e diante da impossibilidade de substituição, qual não foi a surpresa de ver Edmundo vestindo a camisa laranja e novamente chamando a responsabilidade para si em uma hora adversa.Não se fazem mais jogadores como Edmundo. Algum dos leitores vê por exemplo o Morais fazendo tal ato? Talvez o Thiago Silva o fizesse pelo Fluminense ou o Lúcio Flávio/ Túlio o fizesse pelo Botafogo, mas sinceramente, não os vejo com o amor que o Animal nutre por aquela camisa. Edmundo tem características de um atleta antigo que não são mais construídos. Cara, o Edmundo joga com a camisa pra dentro do calção!!! Algo retrô e fora de moda em um esporte, onde a sensação é ser parecido com o Ronaldinho. Ele é autêntico. Louco, mas autêntico. Vou além, Edmundo é de uma espécie de homens que não se fazem mais. Honrado, sério e que não foge às suas responsabilidades. Você duvida que se tivesse um pênalti ele cobraria? Tenho certeza que ele assumiria a responsabilidade mesmo que sofresse como sofreu uma série de vezes. Num esporte onde os atletas são tratados como crianças mimadas e estrelas intocáveis, Edmundo é uma ilha de moral e de honra. Cenas como o choro de Edmundo ao final do jogo enchem-me de orgulho de ser vascaíno. É disso que a gente tem vivido. Em um mundo como o atual, repito o refrão: É demais, o homem não sabe o que faz. Eu tenho pena do rapaz, mas Edmundo tem que dormir tranqüilo, porque fez a coisa certa!

Anúncios
9 Comentários leave one →
  1. Dudu permalink*
    6 setembro, 2008 1:54 am

    Olha, não concordo… até admirei a atitude dele… vc vê que o cara realmente está se importando com o time. Mas só isso não adianta. Eu tb já chorei pelo Vasco várias vezes. Chorar por chorar, do quê adianta? Ele e o time, e o técnico, têm de fazer a sua parte. Só chorar não adianta.

  2. Alvinho permalink*
    6 setembro, 2008 3:06 pm

    E ninguem caaala, esse chororoooo
    Animal viado, chorou pra caralho e tomou o gooool!

    hahaha

    Concordo com Eduardo Silva, sem mais.

  3. Alvinho permalink*
    6 setembro, 2008 3:07 pm

    Até pq chorar por chorar, eu tive a honra de ter o time inteiro!

    ehauheuaheuaheuaheuaheahuehuahauehahe

  4. 6 setembro, 2008 3:26 pm

    Caras, acho que não me fiz entender! Só quis dizer que na Era do profissionalismo, não se deve ter amor a Camisa, coisa que o Edmundo parece ter. O Edu Pina e o Marcos Vinícius são péssimos, mas se tivessem metade da garra do Edmundo, estaríamos feitos.
    Louvo o Animal porque não tem vergonha de se sacrificar pelo grupo. O Morais não queria nem marcar, você acha que ele iria para o gol?!?! E é ídolo!!! O Morais é só um exemplo, temos uma geração inteira de pessoas, e não só atletas que tem a mesma postura, o não comprometimento, a falta de respeito com a coletividade… coisas das quais nunca poderemos acusar Edmundo.
    Cara, o Edmundo é o que a gente precisa!! O choro foi uma resposta às ações em campo, um jogador que se doa até o limite e que não foge da responsabilidade!

  5. 6 setembro, 2008 3:31 pm

    E quanto ao Alvinho, saiba. O choro dos botafoguenses também me trouxe algum saudosismo dos tempos em que jogadores amavam seus clubes. Botafogo e Edmundo parecem estar reevivendo sentimentos a muito esquecidos.
    Quando o Flamengo foi eliminado pelo América do México, Bruno saiu chorando de campo, mas não se expôs como O time do Botafogo e Edmundo. É um cara que pode até sofrer, mas teve medo de se entregar e ficar exposto.
    E quanto a chorar pelo time, o choro do torcedor é uma coisa, o choro do profissional é outro. O torcedor é 100% passional, o atleta, profissional, cheio de clausulas contratuais tem sido um poço de frieza, beija mil escudos e não vibra realmente por nenhum. Acho que Edmundo é um cara de antigamente…..

  6. Alvinho permalink*
    6 setembro, 2008 7:56 pm

    Mais do que explicado e entendido, J. Agora sim consegui entender teu ponto de vista.

  7. 8 setembro, 2008 10:57 am

    É, tb entendi só agora!

  8. 8 setembro, 2008 7:53 pm

    É que eu quis escrever bonito… igual ao Tostão… tenho que ser mais direto….

    : (

  9. Dudu permalink*
    8 setembro, 2008 9:35 pm

    Hahaha parecia uma criança falando… “igual ao Tostão”… hahaha

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: